Edifício Vista Guanabara com ocupação total até o fim do ano

| 30/05/2019

Dos 18 andares, somente três estão disponíveis para locação

Um dos oito novos prédios de alto padrão do Porto Maravilha está perto de ter todos os andares ocupados. Desde meados de 2018,  três grandes empresas anunciaram mudança de sede para a Região Portuária este ano. A seguradora Amil, de maior peso, ocupará oito andares; o banco chinês Bocom BBM já iniciou transferência; e a mais nova a se mudar é a gigante de seguros italiana Generali. De acordo com a administradora do prédio, há expectativa de ocupação de 100% até o fim do ano.

Vista Guanabara (à esquerda): restam apenas três andares para novas negociações

O edifício recebe em média sete visitas mensais de empresas interessadas em mudar para a região. Hoje os ocupantes são Casa Granado e Bocom BBM – em fase de últimas adequações físicas antes da mudança. Quando as quatro empresas estiverem alocadas, serão mais 3 mil trabalhadores circulando no Porto Maravilha em 2019. Para o gerente de desenvolvimento econômico e social da Cdurp, Rilden Albuquerque, o aumento de circulação na região é fundamental para o sucesso da operação urbana. “É isso que faz um projeto de revitalização valer a pena. Novos negócios surgem com o aumento de pessoas na área. Com eles, empregos e desenvolvimento”, analisa. E completa: “Essas pessoas passam ao menos oito horas de suas vidas aqui. Elas vão consumir, fazer refeições, ir ao banco, ao salão de beleza e até procurar um lugar para se exercitar antes ou depois do trabalho, por que não? É aí que os serviços do entorno passam a surgir. Cada empresa que fecha negócio para vir para cá sela, de grão em grão, o sucesso do Porto Maravilha”, comemora Rilden.
A Generali levará mais de 300 funcionários da Avenida Rio Branco 128, seu endereço há mais de 90 anos, para um andar e meio do Vista Guanabara em agosto de 2019. A diretora de pessoas e organização da Generali, Camila Asenjo, revela alguns fatores que pesaram na escolha, como modernizar o ambiente de trabalho em Open Office para integração entre setores e o movimento de mercado que se observa em direção ao porto. “Há uma migração de grandes empresas para a Região Portuária porque será o local com o maior grau de investimentos em infraestrutura, acessibilidade, segurança e serviços, além da revitalização que gerou um espaço turístico totalmente contrário da degradação de alguns anos atrás”, justifica.

Texto e foto: Bruno Bartholini

Tags: