Pela primeira vez desde a criação do Circuito Histórico e Arqueológico da Celebração da Herança Africana, em novembro de 2011, cariocas e turistas poderão percorrer os seis pontos do roteiro em visitas guiadas gratuitas. Com apoio da Companhia de Desenvolvimento Urbano da Região do Porto do Rio de Janeiro (Cdurp) por meio do programa Porto Maravilha Cultural, o Instituto de Pesquisa e Memória dos Pretos Novos (IPN) abriu inscrição para 40 grupos ao longo de 2016.

O percurso dura em média duas horas e meia com roteiro que parte do Largo de São Francisco da Prainha, passa pela Pedra do Sal, sobe o Morro da Conceição e chega ao Jardim Suspenso do Valongo de onde se vê o Largo do Depósito de cima. Na Praça Jornal do Comércio, o grupo visita o Cais do Valongo, candidato a Patrimônio Cultural da Humanidade pela Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (Unesco). Na Rua Pedro Ernesto, os dois últimos pontos são Centro Cultural José Bonifácio (CCJB) e Cemitério dos Pretos Novos.

A programação prevê até quatro passeios por mês em grupos de no máximo 80 pessoas.  Antônio Carlos da Silva, um dos fundadores do IPN, guiará os participantes em visitas predominantemente às terças-feiras de manhã ou à tarde (ver datas e horários abaixo). Em eventos estratégicos na Região Portuária, como o ArtRua, a Semana da Consciência Negra e o Dia do Samba, haverá passeios especiais.



Circuito da Herança Africana

Nas últimas décadas, em particular após as obras do Porto Maravilha, estudos e escavações arqueológicas trouxeram à tona a importância histórica e cultural da Região Portuária do Rio de Janeiro para a compreensão do processo da Diáspora Africana e da formação da sociedade brasileira. Achados arqueológicos motivaram a criação, pelo Decreto Municipal nº34.803de 29 de novembro de 2011, do Circuito e do Grupo de Trabalho Curatorial do Circuito Histórico e Arqueológico da Herança Africana para construir coletivamente políticas de valorização da memória e proteção deste patrimônio cultural.

Cada um dos pontos indicados remete a uma dimensão da vida dos africanos e seus descendentes na Região Portuária. O Cais do Valongo e da Imperatriz representa a chegada ao Brasil. O Cemitério dos Pretos Novos mostra o tratamento indigno dado aos restos mortais dos povos trazidos do continente africano. O Largo do Depósito era área de venda de escravos. O Jardim Suspenso do Valongo simboliza a história oficial que buscou apagar traços do tráfico negreiro. Ao seu redor, havia casas de engorda e um vasto comércio de itens relacionados à escravidão. A Pedra do Sal foi ponto de resistência, celebração e encontro. E a antiga escola da Freguesia de Santa Rita, o Centro Cultural José Bonifácio, referência da cultura negra, remete à educação e à cultura como instrumentos de libertação em nossos dias.

SERVIÇO - VISITAS GUIADAS CIRCUITO DA HERANÇA AFRICANA

Roteiro: Largo de São Francisco da Prainha, Pedra do Sal, Jardim Suspenso do Valongo, Largo do Depósito (vista do jardim), Cais do Valongo, Centro Cultural José Bonifácio e Cemitério dos Pretos Novos.
Horários pré-definidos: 9h ou 14h (podem ser negociados de acordo com a necessidade do grupo).
Inscrições:  enviar e-mail para circuito@pretosnovos.com.br com ficha de inscrição preenchida (baixe ficha individual ou ficha para grupos).
Mais informações: (21) 2516-7089.

Temporada 2017:

Sem datas disponíveis