Edifício Aqwa abre as portas no Porto Maravilha

| 09/11/2017

Alguns dizem que parece um diamante, outros fazem uma forma de pirâmide invertida com as mãos para se referir “àquele prédio em frente à Cidade do Samba”, assinado pelo escritório Foster + Partners, do arquiteto  britânico Norman Foster - responsável por obras como a do Reichstag, o Parlamento em Berlim, e o 30 St Mary Axe, conhecido como Gherkin ("pepino, em inglês"), em Londres . O empreendimento da Tishman Speyer é o segundo prédio da empresa no Porto Maravilha e abriu as portas atraindo muitos visitantes para o Casa Cor. Inaugurado em outubro, o prédio é a primeira de duas torres que se tocam no último andar interligando os dois edifícios do Aqwa.
No nono andar, o visitante encontra a exposição sobre a Revitalização da Região Portuária criada especialmente para a mostra. Quatro timelapses rodando ao mesmo tempo mostram a construção da Via Binário do Porto, da Via Expressa, da demolição do Elevado da Perimetral, do Museu do Amanhã, Aquário, mural do Kobra e do próprio prédio.
Recepção do Aqwa tem vista privilegiada do Parque Linear e da Baía de Guanabara. 
São 21 andares dos quais 19 são reservados a lajes corporativas. O gerente de Desenvolvimento Econômico e Social da Companhia de Desenvolvimento Urbano da Região do Porto do Rio de Janeiro (Cdurp), Rilden Albuquerque, comemora a inauguração de mais um empreendimento de peso e lembra outro complexo de torres da empresa, o Lumina Rio, que trará quatro edifícios residenciais ao lado da sede da L´Oréal e do Youtube.“Nós queremos dar mais vida à região. Está ficando tudo muito bonito, com infraestrutura nova, mas precisamos de mais gente circulando aqui. Por isso esse empreendimento e o residencial são importantes”, explica.
A experiência do Casa Cor trouxe restaurantes e cafés ao primeiro andar do prédio que podem ser frequentados mesmo que o visitante não vá à exposição com direito à vista privilegiada e espreguiçadeiras no ponto extremo da Orla Conde. Há expectativa de que esses serviços permaneçam e outras opções cheguem aos 4.500 m² de lojas do prédio, o que amplia as opções gastronômicas do entorno.  "A realização da Casa Cor no Porto Maravilha contribui para consolidar a região como novo polo de desenvolvimento do Rio de Janeiro. O evento vai mostrar às pessoas o que é trabalhar e morar em uma região que passa por intensa transformação e é um exemplo de revitalização urbana, com obras de infraestrutura importantes já entregues e intensa atividade empresarial, cultural e artística", ressalta Daniel Cherman, presidente da Tishman Speyer no Brasil.

Texto e Foto: Bruno Bartholini